Taekwondo - Tópico Oficial

Qualquer modalidade de trocação de porrada
Avatar do usuário
Aquaman
Apoiador
Apoiador
Mensagens: 1311
Registrado em: 18 Ago 2014 15:04
Contato:

Re: Taekwondo - Tópico Oficial

Mensagem por Aquaman » 12 Fev 2016 10:08

Vídeo de TKD antigo.. 70, 80, 90 ... Embora o de hoje é mais técnico... O antigo é muito mais ogrão....

phpBB [video]
A melhor época para plantar uma árvore foi há 20 anos atrás; o segundo melhor tempo é agora...

Imagem

Avatar do usuário
Gaijin
Usuário
Usuário
Mensagens: 99
Registrado em: 08 Mai 2016 23:59
Contato:

Re: Taekwondo - Tópico Oficial

Mensagem por Gaijin » 14 Mai 2016 14:32

ska4fun escreveu:Taekwon-do nada mais é do que uma apropriação Koreana do Shotokan. Ocorreu o mesmo com Hapkido e Gumdo.

Eu não iria tão longe a ponto de dizer que seria uma "apropriação", porque não só o Japão é que invadiu a coréia, como o TKD se desenvolveu de maneira bem diferente, e enquanto que mesmo o Shotokan enfatiza as técnicas de braço, o TKD tem uma orientação bem diferente, priorizando os chutes... hoje é uma arte essencialmente ligada à cultura coreana...

Mas as raízes estão todas no Karatê da época sim, como muitos colegas falaram, até por razões históricas.
“I can defeat you physically with or without a reason. But I can only defeat your mind with a reason." —JIM LAU

Avatar do usuário
Aquaman
Apoiador
Apoiador
Mensagens: 1311
Registrado em: 18 Ago 2014 15:04
Contato:

Re: Taekwondo - Tópico Oficial

Mensagem por Aquaman » 28 Jul 2016 08:20

Dando um Up! no tópico em questão...

Relato do GM Woo Jae Lee sobre o general CHOI... isso explica bem detalhado a divisão da WTF e ITF...

GENERAL CHOI HONG-HEE

Muitos conhecem o seu nome, mesmo os não praticantes de Taekwondo. Todos já ouviram falar no nome do General CHOI HONG-HEE. Se não conhecem, devem, certamente, conhecer o estilo CHANG-HUN-RYU.
O general CHOI HONG-HEE foi famoso na Guerra da Coréia (1950 a 1953). Foi o criador, fundador ou reformador do Taekwondo a partir do ano de 1954.
O estilo "CHANG-HUN-RYU" foi criado pelo Gal. Choi Hong-Hee. "CHANG-HUN" refere-se ao seu nome, o nome que representa a sua pessoa, nomeado pelo seu Mestre (não seria um apelido, mas um nome de iniciação). "RYU" quer dizer "estilo", ou "estilo do Chang-Hun" ou, ainda, "estilo do General Choi Hong-Hee".
Em 1945, terminou o domínio japonês na Coreia (logo após a derrota japonesa na Segunda Guerra Mundial), advindo, anos depois, a Guerra da Coréia, durante a qual surgiram vários estilos de lutas. Haviam mais de 14 nomes de estilos baseados no "Taekkyun", totalmente desordenados. Existia, inclusive, um estilo do Karatê, o "Gong-Su-Do".
Somente em 1955 nasceu, sob um só nome, o "Taekwondo", graças ao Gal. Choi Hong-Hee. O General Choi reuniu 30 Mestres autênticos e respeitados na Coréia, e sugeriu um nome para representar o "TaekKyun". "Tae" significa "chutes com o pé", e "Kwon", técnicas de mão. Dô é a arte ou caminho. O TaeKwondo seria, assim, "a arte do pé e da mão".
O General conseguiu unificar todas as lutas existentes nos mais diferentes nomes sob o nome de "Taekwondo". Não se vislumbrava, até então, qualquer perturbação no futuro do Taekwondo.
Mas ocorreu que, em 16 de maio de 1961, um outro General (patente de general uma estrela), PARK CHUNG-HEE, juntamente com seus seguidores, fez uma revolução na Coréia do sul e conseguiu dominar o país. Em 12 anos de governo, ele conseguiu promover o crescimento e tirou o povo da miséria.
Infelizmente para os taekwondistas, essa reviravolta atrapalhou o desenvolvimento do Taekwondo.
O Gal. CHOI e o novo Presidente, Gal. PARK Chug-Hee, eram militares, então, naturalmente, se cruzaram inúmeras vezes no passado. Quando o então Coronel Choi Hong-Hee era Comandante do Batalhão, o então Tenente Park Chung-Hee era seu oficial subordinado, recebendo suas ordens. Continuaram se cruzando em várias outras oportunidades, sempre um como chefe e o outro como subordinado, foi um destino muito forte.
Passou-se um bom tempo até que o Tenente Park, agora General de uma estrela, chefiou um grupo de Elite Militar coreano e conseguiu instalar uma Revolução na Coréia. Promoveu uma festa para comemorar o sucesso do movimento no Palácio Kyung-He-Ru do Castelo Kyung-Bok-Gung, em uma noite de junho de 1961. O Gal. Park havia convidado vários líderes e generais para o evento, para festejar e aliar forças. Era o primeiro encontro deles após a bem-sucedida revolução, e naturalmente o Gal. Choi (patente de duas estrelas) foi à festa com todas as expectativas. Ficou logo incomodado com a excessiva segurança, todos eram submetidos a uma ampla revista, por todos os cantos se viam guardas armados com munição pesada, limitando a área e impedindo a livre circulação. Os festejos começaram com muita comida, bebida e música ao vivo e, passado algum tempo, o alto falante anunciou a entrada do dono da noite, o General Park Chung-Hee e os demais 30 membros da Revolução. Os convidados faziam fila para cumprimentar um a um. Todos tentavam conquistar a simpatia ou mostrar apoio à nova força e ao futuro governante. Inclusive, ficou famosa a história de um General 4 estrelas que, na sua vez de cumprimentar o Gal. Park (1 estrela), curvou seu corpo a 90º, permanecendo por mais de 1 minuto nesse cumprimento, abaixado, chamou o Gal. Park de "Vossa Excelência" e, com todo o respeito parabenizou-o pela revolução, jurando-lhe lealdade.
(Obs): Esse General logo foi nomeado Primeiro Ministro, tendo sido o único ministro a permanecer no cargo por 12 anos, uma longa carreira.

Porém, o nosso General Choi Hong-Hee fez o contrário. Ficou quase ao final da fila e, ao chegar sua vez de cumprimentar os membros da Revolução, não fez o que deveria ter feito. Não se curvou cumprindo a formalidade ao chegar diante do Gal. Park. O Gal. Park, ao ver o Gal. Choi, com todo o respeito, pediu seu apoio à Revolução. E então, ao invés de um caprichado cumprimento e uma palavra de apoio, nosso General se limitou a fazer um cumprimento normal, dizendo-lhe, como se fosse seu superior: "Trabalhe bem! Se precisar de mim, pode falar comigo!". E para completar, ainda pôs a mão no ombro do Gal. Park.
(Obs): Na cultura coreana, considera-se falta de educação se um inferior na hierarquia ou mais novo em idade põe a mão no ombro do superior ou mais velho em idade. Quando cheguei ao Brasil no início, quando me encontrava com meus alunos, muitas vezes para demonstrar carinho, colocavam a mão em meu ombro, e eu quase passava mal de tanta irritação. Imagine então um baixinho como o Gal Choi, que naquela ocasião era hierarquicamente inferior ao Gal. Park fazer isso na frente dos 30 membros da Revolução. Certamente todos estavam odiando-o por isso.
Os membros da Revolução estavam surpresos. Afinal, era naquela festa que eles pretendiam saber quem era amigo, inimigo, ou neutro. Queriam classificar aqueles que os apoiariam daqueles que estariam contra e, ainda, aqueles que se manteriam neutros.
Assim, a postura do Gal Choi Hong-Hee não agradou a ninguém.
Naquela noite, o general foi marcado para ser mantido distante ou até eliminado, afinal, não havia mostrado nenhuma simpatia por eles. Por sorte, o Gal. Park Chung-Hee não o afastou: nomeou-o Embaixador da Coréia na Malásia, em 1962. Já com o título de Embaixador, foi chamado pelo já empossado Presidente da Coréia Park Chung-Hee. Os assessores do Presidente, alguns membros da Revolução, já conheciam o episódio da festa no Kyung-He-Ru, então 1 hora antes do encontro, foram conversar com o Gal. Choi sobre como deveria se portar. O Gal Choi admitiu que houve erro no seu comportamento na noite da festa, que não foi educado e, por diversas vezes, concordou que daquela vez faria tudo certo. Mas quando o Gal. Choi entrou no salão do Presidente, este rapidamente se levantou, correu até a entrada e o recebeu com todo o carinho, e naquele instante o Gal. Choi se esqueceu de tudo o que havia combinado com os assessores do Presidente. Tratou-o exatamente como na época em que era seu superior. Obviamente, dali em diante não havia mais reparação. Até foi para a Malásia como Embaixador, mas junto com ele foi um diplomata espião (informante), como secretário da Embaixada.
Nos 3 anos em que serviu como Embaixador, tudo o que o general fazia, dia e noite, era tudo relatado, como um diário, para o Serviço Secreto da Coréia. Nesse período, o general trabalhou muito em prol do Taekwondo, realizou muitas demonstrações, seminários e cursos como se fosse Embaixador do Taekwondo, em todo o continente da Ásia.
Ainda que tenha trabalhado muito pelo Taekwondo, deixou pendentes algumas ordens do Governo. Foi descrito pelo Serviço Secreto como incompetente e não demorou muito para que fosse chamado de volta à Coréia. Mesmo assim, não perdeu o título de Embaixador e ficou como reserva, o que significava uma chance para se redimir.
Foi nesse período que convivi com ele. Ia quase todos os dias em sua casa, no Schin-Tchon. Em 1965 ele fundou uma organização unificada, a "Korea Taekwondo Association" e, em 1967, fundou a organização mundial "International Taekwondo Federation" (ITF).
Por 3 vezes ele teve a oportunidade de conquistar o Presidente da Coréia (Gal. Park Chung-Hee). O que faltava fazer era ajoelhar-se perante ele e prometer leadade e obediência, coisa que ele, definitivamente, não fez. Na verdade, fez ainda pior, ele dizia (eu mesmo já ouvi várias vezes) "Park é o presidente da Coréia, mas eu sou o presidente do mundo!" (ele se referia ao fato de ser presidente do ITF, que tinha 54 países afiliados na época).
Assim, a cada dia, distanciava-se cada vez mais do Governo. Por 5 anos o Presidente Park esperou que o general mudasse seu comportamento, pagando-lhe o salário de Embaixador como se ainda estivesse na ativa mas, por fim, cassou-lhe o título, o que enterrou qualquer esperança de reconciliação.
E não foi só isso, o Governo articulou e indicou um dos assessores, Dr. UN-YONG KIM, para a missão de criar uma organização paralela ao ITF (do Gal. Choi), a WTF (World Taekwondo Federation), criada em 1970. Daí nasceu o estilo do Kukkiwon (22 estilos do Taekwon-do) e, com isso, o campo de ação do Gal. Choi ficou muito limitado.
Para piorar a situação do general, todos os que o seguiam passaram a ser ameaçados e considerados comunistas. Isso foi em 1972. Nesse período, vários mestres ligados a ele saíram da Coréia (os mestres Sang-Min Cho, Sang-In Kim, Kwang-Soo Shin, Kum-Joon Kwon, Hui-Sub Lee, Gun-Mo Bang, e eu, que vim ao Brasil no ano de 1971).
Em 1972, a Embaixada e o Consulado da Coréia no Brasil recomendaram, individualmente, distância do Gal. Choi, proibindo qualquer contato com ele.
(Obs): Naquela época, na Coréia, tratava-se com muito rigor a questão do comunismo. Não se dava emprego aos comunistas ou suspeitos de terem ligação com o regime; quem já estava empregado era demitido; não se permitia a saída da Coréia e nem se autorizava a entrada; e, ainda pior, essa punição era aplicada também a familiares e parentes, os quais também eram condenados como comunistas.
Nós (os mestres citados acima), conversávamos muito a respeito, éramos certamente seguidores do Gal. Choi. Na verdade, não tivemos problemas diretos, já que estávamos fora da Coréia mas, se quiséssemos visitar a Coréia, não poderíamos. O agravante era que nossas famílias estavam morando lá.
Foi então que recebi uma carta do meu irmão mais velho. Ele ocupava um cargo importante no Governo e me pediu que renegasse ao Gal. Choi Hong-Hee. No ano seguinte, em 1973, o Gal. Choi veio ao Brasil e nós, os 7 mestres, reunimo-nos em São Paulo junto com o general, em março de 1973. Ele conversou muito conosco, juntos e individualmente. Na minha vez, fiquei a sós com ele em um quarto pequeno. Ele segurou a minha mão e disse "Lee, você é de minha maior confiança. Você é o meu aluno. Trabalhou comigo, eu celebrei seu casamento, considero você meu filho. Vamos fortalecer o Taekwondo mundial juntos. Não se afaste de mim!", e eu respondia, "Sim senhor, entendi!". Mas não poderia responder ou combinar quanto ao futuro. Na verdade, eu e ele tínhamos mais ligações.
Pouco tempo antes do meu casamento, o Gal. Choi mandou que um sobrinho dele procurasse saber da minha vida para tentar me apresentar uma cunhada (irmã de sua esposa), mas então soube que eu já morava com minha esposa (Sra. Moon). Foi à minha casa, conheceu a minha esposa, e lamentou comigo, pois poderíamos ter sido cunhados. Ainda assim, aceitou o meu convite e celebrou meu casamento no dia 15 de maio de 1971. São destinos que não podemos negar.
Tenho muita estima por ele, e muito, muito respeito. Ele é o senhor do Taekwondo, o 2º criador do Taekwondo, ele fez o nome, unificou tantos estilos em um só caminho. Fundou o Korea Taekwondo Federation (KTA) e o International Taekwondo Federation (ITF). Criou novas técnicas e organizou o Taekwondo mundial. Se não fosse por ele, o Taekwondo hoje não teria 124 países filiados, não estaria nas Olimpíadas, e tudo isso aconteceu graças à semente plantada por ele. Somente não teve sorte. No momento mais importante foi atropelado pela Revolução, e logo encabeçada por um subordinado, e ele não sabia abaixar a cabeça. Não sabia adular, era muito orgulhoso.
Nesse período de 1972 a 1974, eu não me afastei dele, mas tinha muito trabalho a fazer, como me estabelecer no Brasil, divulgar o Taekwondo, trazer minha família da Coréia, dar 8 aulas por dia, enfrentar 6 desafios, criar o Departamento Especial do Taekwondo na Confederação Brasileira de Pugilismo (CBP).
Quando acordei e comecei a procurar saber do Taekwondo mundial, soube que o General havia se mudado para o Canadá (Toronto). De lá ele fazia visitas à Coréia do Norte e, definitivamente, assumiu o comunismo. Eu não pude entender sua atitude. Como um general que lutou e matou tantos soldados norte-coreanos foi se tornar aliado da Coréia do Norte? Fez até um discurso na TV contra os sul-coreanos. O então Presidente Park Chung-Hee chegou a considerá-lo Inimigo número 1 do povo coreano.
Enquanto isso, aos poucos, eu me aproximava do WTF e da Kukkiwon. Mas confesso, nunca, até hoje, fiquei satisfeito com o Kukkiwon . Não era como no tempo do General Choi, um comando único, muito organizado e tecnicamente superior. Os Poomse do Kukkiwon não têm base, não têm fundamentos, nem filosofia. E além do mais, a WTF e o Kukkiwon não têm normas ou controles para a promoção de novos DAN. Pagando bem, ou se for conhecido, qualquer um pode ser promovido a um novo DAN. Houve caso de um 4º Dan pular para o 7º Dan. Na cidade de Campos (RJ), um 1º Dan chegou ao 4º Dan em 3 anos, isso acontece muito com o Kukkiwon . Isso é horrível! Hoje o Kukkiwon é um símbolo de corrupção.
Quando eu comandei o Taekwondo brasileiro de 1972 a 1984, briguei muito com o secretário-geral do WTF (Sr. Hyun). Ele distribuía os DANs sem consulta prévia com a nossa Confederação Brasileira (CBP). Isso continuou até novembro de 2015 quando, finalmente, o Governo coreano deu um ultimato ao Kukkiwon: "Caso não houvesse um controle, o Governo fecharia a entidade", ao que o Kukkiwon rapidamente prometeu que "não mais aconteceriam essas irregularidades". Não sei como foi de dezembro/2015 para cá... Eles estão arruinando o nível do Taekwondo. E por que isso acontece? Não há uma liderança absoluta no Taekwondo. O comando está dividido entre vários líderes menores, ninguém respeita ninguém e cada um se acha melhor e mais experiente do que o outro, e esse pensamento está arruinando o Taekwondo.
O General Choi faleceu em 2002. Antes de sua morte, muitos bons mestres (famosos) o deixaram. Agora quem comanda o International Taekwondo Federation (ITF) é o filho do General, que não sabe nada sobre o Taekwondo. Se no passado, nos idos dos anos 1961 a 1970, o nosso General tivesse conseguido fazer a boa política, mantendo um bom relacionamento com o Governo coreano e respeitando o Presidente Park, a história certamente teria sido diferente. Não teriam sido criados a WTF nem o Kukkiwon, o Taekwondo estaria perfeito e organizado, o General Choi Hong-Hee seria um Herói nacional da Coréia, e não um traidor da pátria.
Era um grande mestre! Com menos de 1,70m de altura, magro, famoso General da Guerra da Coréia, o 2º Fundador do Taekwondo. Antes, o pai do Chang-Hun-Ryu; depois, o traidor do povo coreano. Triste! Eu vivi com essa história, fui testemunha e colaborador, eu sei que ele escolheu o caminho errado, e nos traiu. Mas o seu trabalho, como o 2º Fundador do Taekwondo, já está escrito, não pode ser mudado, já faz parte da história do Taekwondo.
Agradeço pelo belo trabalho do General Choi Hong-Hee, o Taekwondo não deve se esquecer do seu legado!
A melhor época para plantar uma árvore foi há 20 anos atrás; o segundo melhor tempo é agora...

Imagem

Online
Avatar do usuário
kyo_spirit
Usuário
Usuário
Mensagens: 11788
Registrado em: 20 Fev 2015 09:11
Contato:

Re: Taekwondo - Tópico Oficial

Mensagem por kyo_spirit » 26 Ago 2019 16:47

Com certeza hj em dia não é um esporte muito popular. Encontrar academias já não é mto simples, encontrar boas academias então é meio complicado. Assistir é péssimo, chato pra caraio, ficam tentando encostar com a ponta do pé e dando gritinhos pra ver se influenciam os juízes (isso qd não é colete eletrônico).


Mas pqp, como é incrível treinar taekwondo. Vc aprende uma variedade de chutes q em arte alguma irá ter a oportunidade de praticar; a movimentação de tronco e capacidade de chutar em ângulos e velocidade inesperados é algo q vc carrega pelo resto da vida. Mesmo treinando outras artes percebe a influência q o taekwondo exerce no seu modo d chutar.

Gostaria de ter treinado muito mais do q treinei mas espero voltar a treinar ainda em 2019
Não existe trabalho ruim, o ruim é ter que trabalhar (Seu Madruga).

Avatar do usuário
Sambo
Usuário
Usuário
Mensagens: 1244
Registrado em: 04 Jul 2014 13:25
Contato:

Re: Taekwondo - Tópico Oficial

Mensagem por Sambo » 31 Ago 2019 15:54

até treinaria novamente, mas só de pensar naqueles exames de faixa que parece que é feito pra criança, desanima!
Criador do tópico: Treinos a porta fechada!!!

Responder

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 3 visitantes